Também temos que pensar em nós


Pára! Pensa! Reflete! Sente! Abraça! Ama!
Faz este exercício interior que te vai dar confiança antes de reformulares as tuas prioridades.
Tens que pensar mais em ti. Tens que fazer mais por ti. Tu és a única pessoa que pode tratar um pouco melhor de ti. Se não fores a fazê-lo, quem o fará?
Pensa em ti!
Cuida de ti!
Trata bem de ti!
Sê bom para ti!
Dedica mais tempo a ti!
Arranja mais tempo para ti!
Primeiro pensa em ti em vez de andares sempre a cuidar dos outros em primeiro lugar.
Temos que nos amar primeiro. Só depois é que podemos amar os outros. Se não nos amarmos a nós mesmos, não poderemos amar mais ninguém!
Temos que pensar mais em nós. Temos que ser felizes pelo que somos, e não sermos felizes só pelos outros. Só depois de sermos felizes por nós mesmos é que podemos ser felizes pelos e com os outros.
Esses são mais os momentos em que és mais feliz. São os momentos em que abraças por inteiro, tempo a pensares em ti.
De vez em quando temos que estar em primeiro lugar nas prioridades da nossa vida.

Geralmente amo cuidar dos outros e não me importo de não ganhar nada em troca. Mas certas vezes cansa quando fazemos de tudo para não magoar os outros e quem acaba por sair magoados somos nós mesmos. Fazemos de tudo para ajudar e cuidar e depois acabamos por ser descartáveis.
Lembra-te que a cruzada é grande, mas o que conta não é apenas o destino, mas sim o que se aprende durante a viagem.

Há tanto tempo que ando a ser assombrado pela palavra desistir.
Que vontade de deixar ser vencido pela vida, talvez me deixe assombrar de uma vez por todas e desista de mim mesmo, mas não consigo, não está no meu ADN desistir.
O que é curioso, é que mesmo que queiramos fazer, não conseguimos mudar um milímetro que seja da nossa essência e se o fizermos não somos inteiramente felizes.
Cheguei ao ponto a dizer a mim mesmo: Importa-te menos. Deixa de quereres de ser “bombeiro” para apagar fogos onde ajam fogos para apagar. Deixa que as coisas aconteçam como tiverem de acontecer. Também é preciso aprender que nem tudo depende de nós.
Não podemos deixar cair no abismo, para que as nossas asas nos libertem e nós possamos voar.
Está na hora de investir mais em mim. Se eu não investir em mim, quem investirá?

Está na hora de nos amarmos e de nos mimarmos.
Posso segurar a tua mão?
Quem não precisa de uns miminhos?
Pensar nos outros em primeiro lugar e só depois em nós, não deve ser toado como sistema. As que o fazem, acabam por sofrer muitas vezes e era quando também elas precisavam de um apoio, de um retorno. Tomamos essas pessoas como fortes e que não se vão abaixo. Mas vão! Todos nós vamos. Ninguém é de ferro e ninguém é suficientemente forte como uma muralha que aguente tudo sozinho. O problema é que nem todos sabem pedir ajuda. Bom mesmo seria estarmos sempre perto daqueles que também se preocupam connosco e que nunca nos falham nas horas mais difíceis.
Não te fartes de fazer o bem e conseguir o bem. Há sempre um alguém que tem isso em conta. Alguém que nunca te vai abandonar. Alguém que vai pegar em ti ao colo para não te deixar cair!
Fazer o bem sem olhar a quem!

Partilhem, comentem e sigam-me também nas minhas redes sociais:

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s