Hamilton vence GP de Portugal e faz história ao bater o recorde de vitórias de Schumacher na Fórmula 1


O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) venceu o Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1 24 anos depois de Jacques Villeneuve ter sido o primeiro a cruzar a meta no Estoril na última prova que se realizou em Portugal. Com esta vitória, o campeão do mundo em título e líder do Mundial 2020 tornou-se no piloto mais vitorioso da história da modalidade, com 92 triunfos, à frente de Michael Schumacher. Hamilton, que partiu da ‘pole position’, deixou o companheiro de equipa, o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes), a 25,592 segundos e o holandês Max Verstappen (Red Bull) a 34,508.
Com este resultado, o piloto britânico ficou mais perto do sétimo título mundial, tendo alargado a liderança do campeonato.
Valtteri Bottas (Mercedes) foi o segundo classificado na corrida realizada no Autódromo Internacional do Algarve e Max Verstappen (Red Bull) foi o terceiro.

O regresso da Fórmula 1 a Portugal 24 anos depois não desmereceu a importância do momento; e não foi apenas pelo recorde – esperado e confirmado por Hamilton –; foi também pela corrida intensa a que se assistiu na estreia do Autódromo Internacional do Algarve na F1.
O domínio da Mercedes não foi exceção também em Portimão, mas a prova deste domingo teve muito mais do que o já esperado assim que os semáforos apagaram a dar o arranque para a primeira das 66 voltas marcadas.
Hamilton partiu bem da ‘pole position’, mas Bottas não saiu pior do segundo lugar da primeira linha e, depois de uma primeira ameaça, o finlandês assumiu mesmo a liderança. O que não conseguiu ser dominado pelos Mercedes foram as pingas de chuva que baralharam a aderência dos pneus médios e as primeiras voltas e permitiram a Carlos Sainz Jr. colocar a McLaren na liderança da prova.
Com o assomar da chuva esvanecido, a ‘ordem natural das coisas’ foi sendo restabelecido, com Bottas, Hamilton e Verstappen a retomarem as suas posições na classificação deixando Sainz para trás. E preparando-se para a corrida ‘esperada’ com meia dezena de voltas já ultrapassada.
O reconhecido difícil circuito de Portimão deu mostras de que ‘até’ tem várias zonas para ultrapassar e esta foi uma corrida com muitas mudanças de posições; até pelas apostas diferentes das equipas nos compostos dos pneus – numa sucessão de ultrapassagens em lugares de grande importância pontuável até praticamente ao mostrar da bandeira de xadrez.
A ultrapassagem mais importante – como é de dever notar – aconteceu com uma vintena de voltas feitas quando Hamilton passou Bottas para voltar a ser o comandante do GP de Portugal e seguir para o recorde de vitórias e para o reforço cada vez maior da liderança do Mundial quando ficam a faltar cinco provas para o final.
Pelo meio desta vitória tão histórica como incontestável – assim como qualquer dos outros lugares do pódio também ficou previsto salvo imponderáveis –, a corrida de Portimão teve muita intensidade em todo o seu decurso, com muitas ultrapassagens, incidentes e outras grandes exibições para além das que deram os troféus.
Charles Leclerc passou com o Ferrari de forma lesta ‘pelos pingos da chuva’ desta prova para chegar num quarto lugar que coloca o monegasco colado a Daniel Ricciardo (Renault) na luta pela mesma posição no Mundial. Pierre Gasly fez uma corrida exemplar deixando o Alpha Tauri no quinto lugar à frente de equipas mais fortes.
Sérgio Pérez (Racing Point) conseguiu minimizar perdas após o toque incial com Verstappen que o atirou para o final do pelotão. Sainz também conseguiu terminar em recuperação e a prova em regularidade de Esteban Ocon (Renault) também merece destaque.
A perder mesmo neste GP de Portugal, para além de Lance Stroll (Racing Point) que foi o único a abandonar, ficou Bottas – cada vez mais longe de Hamilton no campeonato e a 25 segundos de distância do inglês no cortar da meta neste domingo em Portimão.

Classificação do Mundial de Pilotos:
1.º Lewis Hamilton, 256 pontos
2.º Valtteri Bottas, 179 pontos
3.º Max Verstappen, 162 pontos
4.º Daniel Ricciardo, 80 pontos
5.º Charles Leclerc, 75 pontos
6.º Sergio Pérez, 74 pontos
7.º Lando Norris, 65 pontos
8.º Alexander Albon, 64 pontos
9.º Pierre Gasly, 63 pontos
10.º Carlos Sainz Jr., 59 pontos
11.º Lance Stroll, 57 pontos
12.º Esteban Ocon, 40 pontos
13.º Sebastian Vettel, 18 pontos
14.º Daniil Kvyat, 14 pontos
15.º Nico Hülkenberg, 10 pontos
16.º Antonio Giovinazzi, 3 pontos
17.º Kimi Räikkönen, 2 pontos
18.º Romain Grosjean, 2 pontos
19.º Kevin Magnussen, 1 ponto
20.º Nicholas Latifi, 0 pontos
21.º George Russell, 0 pontos

Classificação do Mundial de Construtores:
1.º Mercedes-AMG, 435 pontos
2.º Red Bull-Honda, 226 pontos
3.º Racing Point-Mercedes, 126 pontos
4.º McLaren-Renault, 124 pontos
5.º Renault, 120 pontos
6.º Ferrari, 93 pontos
7.º AlphaTauri-Honda, 77 pontos
8.º Alfa Romeo-Ferrari, 5 pontos
9.º Haas-Ferrari, 3 pontos
10.º Williams-Mercedes, 0 pontos

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s