Esquinas da vida


O tempo vai passando, a vida vai correndo, as saudades vão ficando e o mundo vai desabando. É assim que tudo vai, tudo fica e tudo corre. Tudo corre num tempo que vai passando sem olhar para as esquinas, para as esquinas da vida. Nas esquinas da vida fica um pouco de tudo e fica um pouco de nós. Fica um pouco do que ficou por fazer ou dizer. É onde ficam aquelas saudades dos tempos que passaram e que ficam na incerteza do que poderia acontecer e do que ficou por voltar.
É nestas esquinas da vida que se dão os encontros mais inesperados e onde os olhares mais cativantes e mais completos se cruzam e que também acabam por se desviarem mais simultaneamente. São nestas esquinas que mais acontecem estes encontros acidentais, em que as pessoas mais se unem ou mais se afastam. Muitas coisas acontecem nestas esquinas, a que se dá o nome: esquinas da vida!

Por favor, não te desvies. Não te desvies que eu vou embater-te. Não devemos contrariar o destino nem o tempo. Vamos embater, parar e encontrar-nos nesta esquina tranquilamente.
Segues-me?
Acompanha-me!
Quando se gosta, segue-se o mesmo caminho. Não há entraves, nem esquinas que nos impeçam. As esquinas da vida foram feitas para nos encontrarmos ou para nos afastarmos e não as devemos contrariar.
Ou é para a frente, ou então não é nada!

Encontramo-nos na esquina da vida?
Segues o meu caminho?
Acompanhas-me?
Se não nos encontrarmos na esquina da vida, não posso fazer nada, nem posso seguir o teu caminho ou obrigar-te a que tu sigas o meu.
Se sou capaz de ir sozinho?
Não, não sou! E tu sabes bem que não vou ser capaz. Mas o que posso fazer mais? Se souberes, diz-me.

São imensas as esquinas da vida.
A mesma esquina da vida em mundos tão distintos e tão diferentes.
As pessoas complicam tanto sobre as esquinas da vida, o que por vezes é tão simples de entender. Só me questiono o porquê?
Serão apenas meras coincidências?
Serão meros acasos que a imaginação ou o desejo amplia e distorce?
Talvez um dia saberemos a resposta. Nesta esquina ficará para já somente o meu silêncio e eu.
O mundo é redondo e eu vou continuar aqui à tua espera na mesma esquina de sempre. Na esquina que era para ter sido a nossa esquina da vida.
Agora que sabes onde me encontro. Agora não tens desculpa.
Onde estás tu?

Partilhem, comentem e sigam-me também nas minhas redes sociais:

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s