O medo e o amor são duas forças do Universo


O medo e o amor são duas forças do universo.
O medo é um sofrimento por antecipação que nos dificulta a própria obtenção dos objectivos, colocando-nos obstáculos inexistentes.
O amor é uma força universal e vital que nasce no peito, corre-nos nas veias, que nos guia pelo sentir do nosso coração, dando assim o sentido da nossa vida. Por isso vivam-no em pleno, para que saibamos receber os planos que a vida tem para nós.
No nível evolutivo em que se encontra a humanidade, esta dualidade resume-se apenas ao medo e a outras motivações, predominando aquelas mais negativas como forma de punição, aquelas que criam mais ansiedade, angústia e insegurança.
O amor só viria no estágio intermediário da evolução, ainda que em forma de embrião. Ocorre que no pré-estágio muitos sentimentos são superficiais, fundamentados em conveniências para o próprio interesse e acabam por ser confundidos, ou melhor, ludibriados com o amor. Mas o amor não é só sofrimento, é também alegria e felicidade como em todos os outros valores essenciais na vida também, e só assim se os valores e o amor absoluto se constituirão no final deste ciclo evolutivo.

Aquele que analisa a existência humana fundamentado na sua real finalidade e nos seus devidos valores, pode ser visto como um negativista, que é nada mais que aquele que vê o copo meio vazio, o que analisa pelo lado negativo, e optimista é aquele que vê o copo meio cheio, o que analisa pelo lado positivo. Mas a própria realidade, reflectindo o padrão actual, mostra-se mais polémica e mais provocadora, mostrando mais superficialidade nos pontos essenciais, do que valores essenciais e nessa retórica desvenda uma dimensão desacertada da situação.
Devemos ter em mente que as exigências devem ser transformadas em preferências. No sentido mais amplo: preferir algo é mais libertador, do que exigir algo seja do jeito que queremos.
O amor é a motivação mais essencial em tudo o que nós procuramos e realizamos. É a máxima supremacia da vida. O que nos motiva pode ser um intenso e ardente desejo de amar e ser amado, uma expressão consciente de amor fraterno ou amor abrangente e incondicional que podemos permitir que flua para tudo e para todos. A atitude amorosa é curativa e transformadora de qualquer obstáculo no caminho da auto-realização.
O amor está dentro de nós e não fora e se estivermos conectados com o nosso interior, tudo o que há de bom acontece, principalmente o AMOR!
Insistir, andar atrás não nos leva a nada.
O Amor é como uma mola propulsora que mantém a chama da vida acesa!
O amor começa em nós mesmos. Primeiro temos que descobri-lo na nossa essência. Essa é a chave para sentir o amor, fluindo em todas as direcções e completando as nossas vidas.
Penso que o amor se expressa de diversas maneiras, devemos descobrir o nosso único e incomparável jeito de amar!
Abrir o nosso coração para actos simples e amorosos ao serviço das pessoas, dos animais, das plantas, enfim de toda a natureza, também nos torna melhor do que somos.
Devemos amar e fazermos o que quisermos, pois, quando é pautada pelo amor, a nossa vida adquire as fronteiras do infinito. Rompem-se as dificuldades e eliminam-se as tristezas! Mas temos uma pequena formalidade a cumprir: Saber amar as pessoas sem exigir nada delas!

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s