Nas mãos sinto a luz. Alexandre Vargas — Poemário


Nas mãos sinto a luz, a êxul luz que vem das paliçadas da mansão, a luz azul em clarificada zona então aproxima de mim o seu facho de horizonte. E logo eu a lembrar o querido monte em que pousada estava sobracente a ramaria, e logo eu então a pedir à maresia que nos brilhos […]

Nas mãos sinto a luz. Alexandre Vargas — Poemário

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s