Desse “eu” tão completamente abstracto — escreversonhar


Publicado originalmente em O poeta e os outros eu’s: Desse “eu” tão completamente abstracto nascido que houvera o dia por entre serras cansadas e mosto catam o lume das lareiras e pão esse cansaço tão dormente e tão só a loucura por companhia e um cajado um lápis rombudo e papel sujo… curva-se o…

Desse “eu” tão completamente abstracto — escreversonhar

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s