Caminhos sinuosos no Amor


Quem sou eu?
O que sou eu?
Onde estou eu?
Onde estão os meus sonhos?
Onde estão os meus planos?
Por onde anda a felicidade?
Andarei eu perdido?
Sinto que estou perdido algures por aí, por alguma estrada tortuosa ou por algumas encruzilhadas estranhas da vida. Mas será mesmo que ando perdido? Ou será que me afastei do caminho do amor e da felicidade à espera de te encontrar ou tu me encontrares?
Por vezes procuramos a felicidade em lugares onde ela não quer ser encontrada, ou achamos simplesmente que a perdemos. Mas na realidade ela está bem dentro de nós, à espera que lhe demos asas para nos tirar os pés do chão e mantê-los no céu. Basta um simples gesto com um espírito tenaz para nos colocar no caminho certo.
Por vezes ficamos sozinhos, choramos rios de lágrimas, reclamamos connosco por as coisas não estarem bem. Sentimo-nos perdidos. Sentimo-nos partidos ao meio. E a verdade, é que não se pode ser feliz pela metade. Tudo o que se encontra pela metade não está completo e se não está completo, não está nem pode ser feliz.
Quando assumimos que a metade das coisas não chega para sermos inteiramente felizes. É o princípio da felicidade. É o princípio de juntar as metades. É interiorizar que os nossos sonhos são muitos mais importantes do que os nossos medos. É nessa altura que sentimos que temos mais a ganhar que a perder. E os milagres acontecem, quando a nossa força interior é mais forte que os nossos receios. Basta mais um pouco de fé e nós para nos sentirmos imparáveis.
O tempo é sábio! Ele sabe exatamente os passos que devemos dar para encontrarmos o amor e a felicidade. Sabe exatamente qual o caminho a seguir. Sabe quais são os obstáculos que vamos encontrando. Mas somos apenas nós que temos o controlo da situação e qual o trajeto que vamos seguir. Mas o verdadeiro ponto é nunca perder a vontade de sermos felizes para encontrar o amor. E só podemos encontrar o amor depois de encontrarmos a nossa felicidade.
Todos os dias temos que querer mais e arrependeremo-nos menos. Afinal ninguém ama se não for feliz.

Quando reconhecemos onde não deveríamos ter ido, mas onde devemos estar agora. Quando nos sentimos mais completos e realizados desde o dia em que os nossos caminhos se cruzaram. É quando sentimos que voltamos à vida!
A vida é feita de encontros e desencontros. Quando encontramos a pessoa certa, a vida ganha o seu verdadeiro sentido e equilíbrio.
Quando te vi pela primeira vez fiquei maravilhado. Quando te conheci, vi o porquê da longa espera e o porquê da travessia no deserto.
Sinto que tu foste o meu desfibrilador para fazer o meu coração voltar à vida, a bater por amor.
A vida tem grandes autoestradas, vias rápidas, estradas normais, caminhos espinhosos… e a nossa estrada é o caminho espinhoso. É um caminho difícil. Um caminho complicado. Podem até dizerem, que é um caminho um tanto quanto impossível. Mas é mentira! Tudo só é impossível até acontecer.
Por mais difícil que esteja. Por mais difícil que seja derrubar certas barreiras. Quando for para acontecer, a vida encarrega-se de dar uma mãozinha para ajudar.
Quando muito se quer. Quando muito se gosta. Quando muito se sente. É impossível que não venha acontecer. Porque é quando vai mesmo acontecer.
Caminhos sinuosos. Curvas apertadas. Tempos agrestes…
E ali estás tu. E ali apareces-me tu para me salvar e para me amar.
Por mais complicada que esteja a ser a tua vida, o Amor vai acabar por vencer.
Não há nada nem ninguém mais forte, nem ninguém mais poderoso que o Amor.
O Amor vai acabar sempre por vencer!

Caminhos sinuosos no Amor
Caminhos sinuosos no Amor

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s