Enquanto há borboletas, há vida


A vida passa por vários ciclos e fases. A vida é como as borboletas!
Não haverá vida, se não passarem por longos e silenciosos ciclos e fases que equilibrem e instalem a harmonia. É como nas borboletas. Não haverá borboletas se estas não passarem pelas metamorfoses.
A vida pode ser tão bela como uma borboleta e pode ser madrasta como uma bruxa maquiavélica. É isto mesmo. A vida tem tanto de bela quanto de madrasta.
Um dia podemos estar num paraíso, como no dia seguinte num verdadeiro inferno.
A vida para se viver de bem e com alegria, só se consegue quando se encontra quem nos faça e permita caminhar e viver uma vida assim. Uma vida repleta de alegrias, arrepios, borboletas. Muitas borboletas!
Não percas as borboletas…
Enquanto há vida, que hajam sempre borboletas!
Saudades de sentir borboletas na barriga, do coração bater rápido, da sensação no estômago, na falta de respirar, das pernas a tremer, de rir à toa… saudades…
É tão bom sentir o friozinho na barriga, os arrepios no corpo, as borboletas felizes por estarmos com quem desejamos. Quando se ama, há borboletas.
Não percas o verdadeiro sentido da vida.
Que as borboletas nunca fujam, nunca morram, nunca adormeçam… Se perderes as borboletas, perdes-te a ti. Porque quando as borboletas se forem embora, tudo já foi, nada mais fará sentido!

2 thoughts on “Enquanto há borboletas, há vida

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s